Siga por e-mail

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Apocalipse Revelado por Alziro Zarur - 1967 - Programa 01

1º PROGRAMA__________________________________________________________


Meus amigos e meus Irmãos,

Deus está presente!
Viva Jesus em nossos corações para sempre!


Jesus está voltando, e esta Verdade vem do Apocalipse. E conforme nós prometemos, vamos dar início hoje à interpretação do Livro das Profecias Finais.
Já foi revelado que vamos adotar, dos quatro métodos, o histórico-profético, falando do que aconteceu, do que acontece e vai acontecer, porque está escrito dentro da grande Lei de Causa e Efeito.
Pois bem, um livro chamado Apocalipse começa com um anúncio do seu título e com uma benção dirigida aos que prestarem diligente atenção às suas solenes palavras proféticas. Vamos comentar poucos versículos cada dia para que possa aproveitar bem a interpretação.

1 – Revelação de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu para mostrar aos seus servos as coisas que, brevemente, devem acontecer, e pelo seu Anjo as enviou e as notificou a João, seu servo, 2 – o qual testificou da palavra de Deus e do testemunho de Jesus Cristo e de tudo o que tem visto. 3 – Bem-aventurado é aquele que lê e aqueles que ouvem as palavras desta profecia e guardam as coisas que estão escritas nela porque o tempo está próximo.

Agora vamos ao título.
Por que Apocalipse de João? Em geral, os tradutores da Bíblia têm dado a este Livro o título de Apocalipse do Apóstolo São João. Entretanto, o próprio título contradiz as primeiras palavras do livro. Aqui está escrito, no versículo 1º do primeiro capítulo: “Revelação de Jesus, o Cristo.” Jesus é o Revelador, não é João não, é Jesus! João é apenas o instrumento usado pelo Cristo para escrever esta Revelação em benefício da sua Igreja. Também não é uma igreja particular, é a Cristandade toda. São todos os filhos de Deus que se converteram ao Cristianismo do Cristo, não dos homens. Não há dúvida de que o Discípulo Amado João, aqui mencionado, é o autor do quarto Evangelho, ele que foi o preferido de Jesus entre os Doze Apóstolos. Era o Evangelista e Apóstolo, o autor do Evangelho e das Epístolas que também têm o seu nome (são três Epístolas). Eu iria além, dizendo que João herdou o seu dom profético de Daniel. Mas herdou? Evidentemente não, porque João era a reencarnação de Daniel. Aos seus títulos anteriores acresce agora o de Profeta, porque o Apocalipse é uma extraordinária Profecia.

Mas o assunto deste Livro remonta a uma origem ainda muito mais elevada. Não é apenas a Revelação de Jesus, o Cristo, mas a REVELAÇÃO QUE DEUS LHE DEU (prestem atenção, por favor!); A REVELAÇÃO QUE DEUS DEU A JESUS! Procede, portanto, em primeiro lugar, do grande manancial de toda a Sabedoria e Verdade que é Deus, o Pai – o Pai Eterno – o Criador. Foi comunicado a Jesus, o Filho e o Cristo a enviou e notificou pelo seu Anjo ao seu servo João, o Discípulo Amado.

O caráter do Livro encontra-se expresso na palavra revelação. Uma revelação é alguma coisa revelada, alguma coisa tornada conhecida claramente, não alguma coisa encoberta ou oculta. Moisés, no Deuteronômio, capítulo 29, versículo 29, diz que “as coisas encobertas são para o Senhor, nosso Deus; porém, as reveladas são para nós e para os nossos filhos para sempre”.
O próprio título do Livro constitui, portanto, refutação suficiente da opinião popular de que este Livro se encontra entre os mistérios ocultos de Deus. E há quem diga que este Livro é impenetrável, não pode ser penetrável ou compreendido. Ora, se tal fosse o caso deveria ter o título de “Mistério” ou “Livro Oculto”, não de “revelação”. Veja quem tem olhos de ver, ouça quem tem ouvidos de ouvir!

Qual é o objetivo do Apocalipse de Jesus segundo São João? Aqui está escrito: para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer. Mas isto é muito importante! QUE BREVEMENTE DEVEM ACONTECER AOS SEUS SERVOS! Quem são os servos? Haverá alguma restrição? Em benefício de quem o Apocalipse foi dado? Foi dado a algumas pessoas em particular? A alguma igreja particular, privilegiada? A algum período de tempo especial? Não! Mas a toda Igreja em todo o tempo, enquanto alguns dos acontecimentos previstos estiverem ainda por se cumprir. A Revelação é para toda a Cristandade à Luz do Novo Mandamento, todas as criaturas de DEUS. A Revelação é para todos os que podem reclamar o título de seus servos onde e quando quer que vivam na Terra.
Mas esta linguagem nos leva de novo à opinião comum de que o Apocalipse não pode ser compreendido. Deus diz que ele foi dado para mostrar alguma coisa aos seus servos e, apesar disso, muitos expositores da sua Palavra dizem que não mostra nada, porque ninguém o pode compreender, como se Deus pretendesse tornar conhecidas aos homens algumas importantes verdades e caísse na estupidez de as revestir de linguagem ou figuras que impossibilitassem a mente humana de as compreender. Então Deus seria menos inteligente do que qualquer homem pouco inteligente. Como se mandasse alguma pessoa olhar para um objeto distante e levantasse uma barreira impenetrável entre esta pessoa e o objeto em causa. É como se quisesse dar aos seus servos uma luz para espiar através das trevas da noite e cobrisse essa luz com um pano tão espesso, tão opaco, que nem sequer um raio do seu brilho pudesse penetrar através das malhas escurecedoras! SANTO DEUS! Como O desonram aqueles que assim zombam da Sua própria Palavra! Não, meus irmãos e amigos, o Apocalipse realizará o objetivo para o qual foi dado a João, e seus servos conhecerão por seu intermédio as coisas que brevemente devem acontecer e dizem respeito à sua salvação eterna.

Mas vamos seguir agora focalizando a figura do Anjo. O Cristo enviou e notificou o Apocalipse a João pelo SEU ANJO. Que Anjo? Que Anjo devia, com propriedade, chamar-se o ANJO DO CRISTO DE DEUS? Não podemos encontrar uma resposta a esta pergunta sem a passagem do Profeta Daniel. De fato lá está no capítulo 10, versículo 21, um Anjo que sem dúvida era Gabriel (ver também no livro do Profeta Daniel, nos capítulos 9, 10 e 11), ao dar a conhecer algumas importantes verdades, declarou: “Ninguém há que se esforce comigo contra aqueles, a não ser Miguel, o vosso Príncipe”. Agora podemos saber facilmente quem é Miguel! Basta ver a Epístola de Judas Tadeu no seu versículo 9 (porque só tem um capítulo), chama-lhe Judas Tadeu: O ARCANJO. São Paulo nos diz que quando o Senhor descer do Céu, e os que morreram em Cristo Jesus ressuscitarem, será ouvida a voz do ARCANJO (I Epístola aos Tessalonicenses, capítulo 4, versículo 16). E que voz se ouvirá naquela espantosa hora em que os mortos serão chamados à vida? O próprio Senhor responde: “Não vos maravilheis disto, porque a hora vem em que todos aqueles que estão nos sepulcros ouvirão sua voz”. Está no Evangelho de Jesus segundo São João, capítulo 5, versículo 28. Sendo que o versículo anterior mostra que Aquele a quem aqui se refere, cuja voz será então ouvida, é o Filho do Homem, isto é, Deus feito Homem, Jesus, o Cristo. É, portanto, a voz do Cristo que chamará os mortos das suas sepulturas. São Paulo declara que esta voz é a voz do ARCANJO. São Judas Tadeu diz que o ARCANJO tem um nome – Miguel – que significa “quem é como Deus?”. A mesma personagem mencionada em Daniel, referindo-se ambas ao Cristo. Portanto, o que em Daniel se lê é que as Verdades que deviam ser reveladas a esse Profeta foram confiadas ao Cristo, reservadas exclusivamente a Ele e ao Anjo cujo nome era Gabriel. Idêntica à missão de comunicar a Verdade ao Profeta Amado é a missão do Cristo no Apocalipse: comunicar a Verdade ao Discípulo Amado. E quem, nesta missão, poderá ser o seu Anjo senão aquele que esteve empenhado com Ele em missão anterior, ou seja, o próprio Anjo Gabriel? Por um lado, este fato derrama luz sobre algumas passagens deste Livro; por outro, parece, com efeito, a propósito, que a mesma Entidade, enviada para transmitir mensagens ao Profeta Amado, da dispensação antiga, realizasse idêntica missão junto de quem corresponde àquele Profeta na dispensação cristã, no Velho e Novo Testamento.

Vamos agora falar da benção: Bem-aventurado aquele que lê e os que ouvem as palavras desta Profecia.
Haverá alguma benção tão direta e formal pronunciada a favor da leitura e observância de qualquer outra passagem, de qualquer outro trecho da Palavra de Deus? Não é isto aqui extraordinário? – “Bem-aventurado aquele que lê e também aqueles que ouvem as palavras desta profecia”, deste Apocalipse, desta Revelação. E alguém poderá dizer ainda que não pode ser compreendido este Livro? Será uma benção oferecida para o estudo de um livro que nada lucraremos em estudar? Pode-se afirmar com mais insolência do que piedade que todos os períodos de decadência são assinalados por um aumento de comentários ao Apocalipse e que o estudo do Apocalipse ou encontra ou deixa uma pessoa doida. E, entretanto, Deus pronunciou Sua Benção sobre ele; pôs o selo da sua aprovação sobre o atento estudo das suas maravilhosas páginas. E com o encorajamento de tal procedência, o Filho de Deus não se deixará abalar por nenhum dos importantes ataques dos homens. Cada cumprimento de profecia traz consigo correspondentes deveres. Por isso mesmo, no Apocalipse, há coisas que devem ser guardadas ou cumpridas, há deveres práticos cujo cumprimento se impõe como resultado da realização profética. Um notável exemplo do que acabamos de dizer está no capítulo 14, versículo 12, onde qualquer um pode ler: Aqui estão os que guardam os Mandamentos de Deus e a fé em Jesus.

Mas diz o Livro: O tempo está próximo, o que constitui outro motivo para estudo muito sério neste Livro. Torna-se cada vez mais importante à medida que nos aproximamos da grande consumação. A importância de estudar o Apocalipse aumenta à medida que o tempo decorre. Nele há coisas que brevemente vão acontecer, porque devem acontecer, já está escrito, ou como diriam os árabes: “maktub”. Já quando João registrou a Palavra de Deus e o testemunho do Cristo, e todas as coisas que viu, o longo período dentro do qual estas cenas sucessivas se deviam realizar – já estava próximo. Se a proximidade constituía, portanto, motivo para estudar o seu conteúdo, quanto mais agora (1967), meus amigos, que já estamos na reta final, já estamos no princípio do fim do ciclo, os trinta e três anos finais do Cristo neste milênio. Cada século que passa, cada ano que termina, chama com mais urgência a atenção para a parte final da Sagrada Escritura. Não será a razão de ser desta observação realçada pela intensidade do apego ao presente que caracteriza os nossos tempos e, até mesmo, o nosso país? Nunca, certamente, houve período em que uma poderosa influência oposta fosse mais necessária. O Apocalipse de Jesus, devidamente estudado, apresenta adequada influência corretiva. Oxalá! Meus amigos e meus irmãos. Oxalá! Todos os cristãos pudessem, na mais ampla medida, receber a Benção prometida àqueles que ouvem as palavras do Apocalipse, as palavras desta Profecia e guardam as coisas de Deus que nela estão escritas, porque o tempo está próximo!

Meus amigos, meus irmãos, este Programa é feito pela primeira vez na História do Brasil. E posso dizer mesmo do mundo, porque o que há, até aqui, são Apocalipses católicos, protestantes, espiríticos, judaicos, islâmicos, teosóficos, esotéricos. Mas nós não podemos ficar presos ao sectarismo de qualquer natureza, por mais respeitáveis que sejam. Nós temos que dar o Apocalipse como Deus quer. E Deus não é católico, nem protestante, nem espírita, nem comunista, nem integralista, nem nazista, nem fascista. DEUS ESTÁ ACIMA DE TODAS AS CRIAÇÕES DOS SEUS FILHOS, POR MAIS RESPEITÁVEIS QUE SEJAM. Ora, você abre o livro de um pastor protestante sobre Apocalipse, você vê toda a orientação protestante ou evangélica. Você pega o livro de um padre sobre Apocalipse e vê toda a orientação católica apostólica romana. Você pega um livro espírita e você vai ver um Apocalipse todo espírita. Não, nós vamos dar um Apocalipse neutro, um Apocalipse que existia antes de existirem todas as religiões do Brasil. Então vamos ficar de cima para baixo, dando um Apocalipse imparcial como deve ser dado àqueles que querem estudar, sem nenhuma eiva sectária. Então acompanhem este programa, porque vamos dar poucos versículos por dia – hoje só demos três – para que possam gravar a profundidade imensa deste Livro que é o LIVRO FINAL, O LIVRO QUE É O PLANEJAMENTO DIVINO ATÉ 1999. Isto é muito importante!

Vimos o Presidente Costa e Silva se alegrar com o planejamento do Ministro Hélio Beltrão que, aliás, é meu amigo de infância. Mas, se um governante do mundo faz questão de um planejamento político-econômico, que diremos do Mundo inteiro que precisa tanto de um planejamento divino para se orientar? No caso, por exemplo, se o nosso governo souber o que vai acontecer até 1999, evidentemente poderá tomar medidas muito sérias, com antecedência considerável, preparando o Brasil para as grandes confusões que se aproximam e ninguém pode arredar, ninguém pode evitar! O Apocalipse nos orienta sobre tudo isso. No Apocalipse estão os acontecimentos que nos interessam até o fim deste ciclo e vai até outubro de 1999. É o caso, portanto, de vocês desligarem televisão, deixarem o cinema de lado, reuniões galantes, festas carnavalescas e ouvir com atenção a mensagem do Cristo de Deus. Porque Ele já está mandando os seus Estafetas no sentido de divulgar esta Mensagem pelo Mundo inteiro, porque Ele já iniciou a SUA VOLTA. Jesus disse: Eu voltarei a vós. Não vos deixarei órfãos. E aqueles Anjos disseram aos 500 galileus: Vedes o Senhor subindo ao céu, nessa nuvem? Pois assim voltará da mesma forma o Cristo de Deus.
Temos é que estar preparados para todas estas coisas muito sérias. O que importa é que o Brasil seja salvo das coisas espantosas que estão muito próximas de nós, que a nossa família esteja na mais segura de todas as seguranças: a segurança de Deus, não segurança de homens, porque nenhum homem tem segurança, nenhum país tem segurança se não estiver na segurança do Cristo! Vem muita coisa séria, vem muita coisa profunda, vem muita coisa extraordinária e nós precisamos estar preparados. O fato central desta época é este: JESUS ESTÁ VOLTANDO!
Ao encerrar esta primeira palestra, porque estamos aqui sempre palestrando numa linguagem bem acessível a todos (se bem que certos assuntos exigem uma elevação da linguagem). Mas ao terminar esta palestra, volto a insistir na correspondência: escrevam dizendo qual é o horário melhor da Rádio Guanabara, das 6 às 7 da manhã ou 9 e meia às 10 e meia da noite?

Que a PAZ de DEUS esteja com todos, agora e sempre, E

Viva JESUS!

Nenhum comentário:

Postar um comentário