Siga por e-mail

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Apocalipse Revelado por Alziro Zarur - 1967 - Programa 03

3º PROGRAMA__________________________________________________________


Meus Amigos, meus Irmãos,

DEUS ESTÁ PRESENTE!
Viva Jesus em nossos corações para sempre!


O Livro mais importante da Bíblia, na atualidade, é evidentemente o Apocalipse de Jesus. Por quê? Porque o Apocalipse diz tudo o que vai acontecer até outubro de 1999; portanto, até as portas do Terceiro Milênio, que começa no ano 2.000. Claro que o Evangelho é muito importante, mas o segundo Evangelho é o Apocalipse. Evangelho e Apocalipse são inseparáveis.
Eu tenho dito aqui que o nosso governo dá muito valor, e faz bem, ao Ministério do Planejamento. Mas o que é o Apocalipse? É um planejamento para 2.000 anos. Jesus planejou tudo isto para 2.000 anos – desde a Sua vinda até a Sua volta. E, agora, JESUS ESTÁ VOLTANDO!
Ninguém se iluda, está voltando mesmo para nossa Humanidade, para acabar com toda essa balbúrdia, com todo esse arabesco de injustiças e de maldades, e inversões de valores. Desta vês Jesus vem, mas para a sentença final. Bem-aventurados aqueles que são do Cristo e não do Anti-Cristo. Por isso é que estamos dando, pela primeira vez no rádio brasileiro, a interpretação do Apocalipse sem nenhum sectarismo. Já vimos o que há de bom no Apocalipse espírita, que é o de Cairbar Schutel[1]; no Apocalipse católicos, dos bispos até Bossuet; como também no Apocalipse protestante de várias denominações, inclusive o adventista, Thompson, Barnes, Schmit e tantos outros. Mas vamos dar um Apocalipse sem cor partidária; um Apocalipse que não é católico, nem protestante, nem espírita, nem judaico, porque não pode ser. A lbv respeita todas as religiões, mas tem que se manter acima de todas as divergências.
Vamos, então, dar prosseguimento ao primeiro capítulo do Apocalipse de Jesus, segundo São João, o Evangelista, no seu versículo 7:

7 – Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até mesmo aqueles que O traspassaram; e todas as tribos da Terra se lamentarão sobre Ele. Sim. Amém.

Isto é, Jesus volta com as nuvens, e todo olho O verá, até os mesmo que O traspassaram, isto é, aqueles que O crucificaram. Todos eles vão ver Jesus de novo. Mas não Jesus crucificado, O JUIZ SUPREMO QUE VEM JULGÁ-LOS, e julgar todos os criminosos do Brasil e do Mundo. E TODAS AS TRIBOS DA TERRA SE LAMENTARÃO SOBRE ELE, certamente. Amém.

Eis que vem com as nuvens
Aqui, São João nos leva para a segunda vinda do Cristo em Glória, para o acontecimento supremo e final da Sua intervenção em favor deste pobre mundo caído e desgraçado, mundo de desgraça geral.
Jesus, antes, veio em paciência, em fragilidade, em doçura. Agora, vem com Poder e Glória. Antes, veio na humilhação, foi escarnecido, escorraçado. Veio para o que era Seu e os Seus não O receberam. Agora, vem na plenitude do Seu Poder e da Sua Glória. Vem nas nuvens, como para o céu subiu. Como disseram os Anjos àqueles 500 galileus nos Atos dos Apóstolos, capítulo 1º, versículos 9 a 11 (aliás, é muito importante a leitura desse trechinho do primeiro capítulo do livro de São Lucas – Atos dos Apóstolos).
Então a vinda de Jesus é visível? Quem o diz é o Apocalipse ditado pelo próprio Jesus: todo olho o verá. Todos os que estiverem na altura da sua vinda O verão. Não somo informados, de que a vinda pessoal do Cristo haja de se dar no silêncio da meia-noite, ou no deserto, ou no interior da nossa casa. Não virá como um ladrão, às escondidas, e em silêncio, para furtar riquezas a que não tem direito. Mas virá buscar o seu mais querido tesouro: SÃO AQUELES SEUS SANTOS MORTOS E VIVOS, COMPRADOS COM O SEU PRÓPRIO SANGUE PRECIOSO. Aqueles aos quais arrebatou do poder da morte em belo e patente conflito para os quais Sua volta não será também menos patente e triunfal. Será como o brilho e resplendor do relâmpago quando fulgura do Oriente ao Ocidente. Quem disse isso? O próprio Jesus (basta reler o Evangelho segundo São Mateus, capítulo 24, versículo 27). Será como um som de trombeta que penetrará até as mais recônditas profundezas da terra; como a voz potente que despertará os santos, aqueles que dormem nos seus leitos de pó transitoriamente, provisoriamente.
. Onde lemos isto? Além do Evangelho segundo São Mateus, capítulo 24, também na Epístola aos Tessalonicenses do São Paulo dos gentios, daquele São Paulo mais integrado na grandeza do Cristo, depois da sua queda do cavalo na estrada de Damasco. Tudo isso vai se cumprir. Agora, Jesus virá para os ímpios como um ladrão. Estes, sim, estes vão ser surpreendidos. Aí sim, aí a volta de Jesus - como Ele mesmo declarou – será como a de um ladrão, isto é, imprevistamente, inesperadamente. Por quê? Porque os ímpios, os que debocham do Evangelho e do Apocalipse, os que se riem do Cristo e do próprio Deus, ainda hoje obstinadamente fecham os olhos aos sinais da Sua aproximação, recusam-se a crer na Sua Palavra que é a Bíblia Santa, mas interpretada em Espírito e Verdade, a Palavra de Deus que declara que Jesus já está às portas.
Naturalmente, eu sei de muita gente que diz: “Mas isso aí é esquisito! Jesus diz no Apocalipse: “Eis que breve Eu venho”; quase dois mil anos e ainda não veio!” Mas não é muita tolice querer comparar o breve dos homens com o breve de Deus? O salmista não disse que 1.000 anos para Deus são como o dia de ontem para nós? O dia de ontem que já passou? Isto é, 1.000 anos dos homens é um dia para Deus! Então Jesus pede, apenas, dois dias para voltar, e você acha muito? Mas já está às portas. Imaginar, como alguns pretendem, duas vindas – uma privada e outra pública em relação com o segundo advento – carece de qualquer base evangélico-apocalíptica. É uma volta só!

Até mesmo aqueles que O traspassaram
Aqueles próprios, em complemento a todo olho mencionado atrás, que ocuparam lugar mais ativo na tragédia da sua crucificação, até mesmo esses verão Jesus voltar em triunfo e Grande Glória. Quem o diz é Zarur? Não, é o Apocalipse de Jesus segundo São João. Mas, como pode ser isso? Como, se agora já não estão vivos, poderão vê-Lo quando vier?
Ué, pela ressurreição, digam vocês o que quiserem dizer. Mas nós sabemos que a morte não existe. Sair do sepulcro é uma figura espiritual. O Espírito nunca ficou lá dentro do sepulcro; ficou a carne que apodrece e se transforma em outros seres vivos, porque a morte não existe no Universo. Só acreditam na morte aqueles que estão espiritualmente mortos. Porque há muita gente que diz assim: “Bom, Jesus vai voltar lá por 1999 ou 2000: graças a Deus não estarei lá!”. Quem é que disse que você não vai estar lá? Ou vivo ou morto, ou morto ou vivo, ou vivo-morto, ou morto-vivo VOCÊ VAI ESTAR, SIM SENHOR! Eu vou estar! Todos vamos estar! Porque você vai estar na sua individualidade espiritual, que é eterna, porque o seu Espírito não morre. O corpo é uma transição. O Espírito toma quantos corpos sejam necessários à sua evolução na marcha para Deus. Portanto, o que muita gente diz: “Graças a Deus, não estarei vivo quando Jesus voltar!” Basta que você saiba, que quando você morre, o mundo para você se acabou e Jesus voltou nessa hora; mas, para o Universo, para o grande Planejamento Universal, a volta de Jesus será quando Deus determinar de acordo com o próprio Filho. E, então, o Espírito Santo já está abrindo o caminho. Porque o Espírito Santo é exatamente esta multidão de Espíritos de Luz, Mensageiros, Emissários, Missionários, Estafetas que estão alertando a Humanidade e dizendo: Chega de ilusões, meninos, cabeludos ou não cabeludos! Chegou a hora da nossa integração na Verdade Eterna. Chegou a hora de dizer: está bem o iê, iê, iê, o samba, a bossa nova, a nova dança, tudo isso é interessante, tudo isso é muito bonito, mas acima de tudo isto, o mais importante é o JULGAMENTO DIVINO QUE SE APROXIMA DE NÓS, É A VOLTA DO CRISTO QUE É O DONO DO PLANETA (e essa é a linguagem que todos entendem), É AQUELE QUE MANDA, (é, pois é – é Jesus) É AQUELE QUE MANDA, QUE TEM TODO PODER NA TERRA E NO CÉU!

Mas vamos seguindo:
Naquele tempo se levantará Miguel, o Grande Príncipe, e se levanta pelos filhos de teu povo. E haverá um tempo de angústia como nunca houve desde que houve nação até aquele tempo. Vejam bem isso é uma revivescência de Daniel, grande Profeta do Velho Testamento. Pois bem, Daniel reencarnou como João, o Discípulo Amado. Entenderam porque que o livro de Daniel parece um Apocalipse? É o pré-Apocalipse. Inegavelmente é o prefácio, é o intróito do Apocalipse de João, porque Daniel e João são uma pessoa só.  “Naquele tempo se levantará Miguel, o Grande príncipe, que se levanta pelos filhos do teu povo. E haverá um tempo de angústia como nunca houve desde que houve nação até aquele tempo. Mas, naquele tempo, livrar-se-á o teu povo, todo aquele que se achar escrito no Livro. E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a VIDA ETERNA, outros para a vergonha e desprezo eternos”.
Exatamente, está lá no Livro de Daniel. Isso é muito importante! Vale a pena reler Daniel. Vocês sabem como Daniel se tornou famoso, não é? Veio lá debaixo, veio assim quase que como escravo, como rebotalho humano. Mas, um dia, o Rei Nabucodonosor teve um sonho e chamou os magos, os adivinhos, os encantadores, feiticeiros, toda aquela gente do seu reino e, até, alguns fora do reino. E ninguém soube interpretar o sonho do Rei Nabucodonosor, por uma razão muito simples: que Nabucodonosor não quis contar o sonho. Ele dizia: “Vocês não são adivinhos? Então vocês têm que saber o que foi que eu sonhei. Primeiro vão dizer o que foi que eu sonhei, depois eu quero a explicação”. Essa é grande! Essa é muito interessante! Não houve um barbado daqueles, macróbios daqueles, centenários daqueles, que soubesse explicar nem o sonho, nem a interpretação do sonho. Nessa hora apareceu Daniel, um jovem ainda imberbe. Naturalmente, se compadeceu, porque o Rei Nabucodonosor mandou matar aquela gente toda, e claro que, como aprendiz de profeta, Daniel também ia ser degolado, então tratou de defender aquela gente. Pediu a Deus que lhe mostrasse o sonho de Nabucodonosor, e como Daniel já vinha predestinado – já era um Profeta chamado ESCOLHIDO DO SENHOR – Deus lhe fez ver o sonho de Nabucodonosor. Então contou o sonho e Nabucodonosor confirmou: “Realmente, foi isso que eu sonhei. Agora eu quero a explicação. – Então a explicação é esta, esta, esta...”. Inclusive, foi a Nabucodonosor que Daniel declarou: “Vais perder o teu reino, vais dormir com os vagabundos, vais comer a erva do campo como um cachorro, como um animal irracional. Vais conhecer que todos são teus amigos enquanto és rei. Quando perderes o reinado não terás nenhum amigo. Amigo só há na hora da opulência”. Tudo isso aconteceu. Mas, depois que Nabucodonosor compreendeu que Deus é que rege tudo, que Deus é que dá o poder, que Deus é que tira o poder, que Deus é que distribui as excelências; aí Nabucodonosor chorou um pouquinho, mas chorou mesmo, de joelhos, então Deus, satisfeito, o reconduziu à sua glória. Aí os amigos voltaram, quantos amigos sérios. Então disseram: “Bom, nós não viemos antes porque, afinal, tu caíste e não queríamos ser um constrangimento na tua vida”. Os amigos só servem para isso. Claro que não há regra sem exceção. Mas, amigos? – Já dizia Sócrates – “Amigos? Não há amigos”. Ou então aquele amigo cachorro da quadrinha de Belmiro Braga: “O cachorro é mais amigo do que um amigo cachorro”.
Pois bem, esse Daniel, esse extraordinário jovem, fez um verdadeiro Apocalipse no Velho Testamento. Quem quiser comparar o Livro de Daniel com o Apocalipse segundo São João, vai dizer: “Mas parece um livro só!”. E, na verdade, são. Ambos fazem um livro só. Por quê? Porque Daniel e João, o Evangelista são a mesma pessoa, isto é, o Discípulo Amado já veio preparado para ser Evangelista, e mais que Evangelista: PROFETA. E é o maior Profeta do tempo de Jesus. Depois de João Batista, evidentemente, que, até então, era o maior dos nascidos de ventre de mulher. Quem quiser conhecer bem o Apocalipse, tem que ler bem o Livro de Daniel, que é um livro eminentemente apocalíptico.
Vocês sabem que “revelação” em grego é “apokalupsis” – deu “Apocalipse”, em português, mas quer dizer: REVELAÇÃO. Toda a vida de Daniel é uma série de revelações. E não somente com o rei Nabucodonosor. Também temos o episódio de Baltazar: Baltazar acabou abusando do poder. Mas abusou de verdade. Então, no meio do festim, apareceu um pedaço de mão escrevendo na parede do banquete: “mane tessel fares”. E Baltazar chamou toda aquela gente de adivinhos, de astrólogos (e, hoje, então, como há charlatães fantasiados de astrólogos, meu Deus do céu! Estão em todas as rádios, em todas as televisões! astrólogos que são apenas impostores! Mas, Deus os julgará!). Ninguém soube decifrar aquelas palavras que aquele pedaço de mão escreveu no banquete, no festim de Baltazar. Foi quando apareceu Daniel e disse o significado daqueles elementos escritos na parede. Não é bem assim, mas ficou vulgarizado como: “mane tessel fares”: “teus dias estão contados, serás assassinado na noite de hoje”. E, realmente, Baltazar foi morto naquela noite.
Isto é o poder profético. Esse dom Deus dá a quem acha que deve dar. Deus não dá a qualquer um. Só dá a quem o saiba usar pelo bem comum, não para enriquecer, não para fazer cartaz em rádio e televisão, ou na imprensa, ou no cinema, ou no teatro. Esses dons não se vendem. São de Deus para as criaturas humanas. São as coisas chamadas invendáveis. Pois bem, a morte de Baltazar confirmou o talento profético, verdadeiramente divino, de Daniel. Daniel que reencarnou como João, o Evangelista, para completar o seu Apocalipse. Tanto que vocês vão encontrar expressões iguais em Daniel: dois tempos, um tempo, metade de um tempo, também vocês encontram em Daniel e está no Apocalipse segundo São João.

Sim, amém
Ainda que a volta do Cristo seja para os ímpios como a cena de terror, destruição; para os justos vai ser uma grande cena de alegria e triunfo. Quando chegar a hora da aflição do mundo, então chegará o repouso dos santos. Os que sofreram vão ver que não choraram em vão diante das injustiças e das maldades humanas. A volta do Cristo – que é como a labareda de fogo para tomar vingança dos ímpios – traz consigo o repouso para todos aqueles que crêem e amam. Quem é que disse isto? O Apóstolo dos gentios, São Paulo na sua II Epístola aos Tessalonicenses, capítulo 1º. Sim, os maus não vão querer nem ouvir falar na volta de Jesus. Mas os bons, esses não esperam outra coisa. Jesus já está voltando para a nossa Humanidade.
E essa volta começou a um ano mais ou menos. Os trinta e três últimos anos deste ciclo corresponde aos trinta e três anos iniciais da Era Cristã. Jesus, segundo se diz, foi crucificado aos trinta e três anos de idade. Estamos na fase final deste milênio. Jesus VOLTA PARA JULGAR A TODOS. De modo que, nesta oportunidade, mais se impõe o estudo do Apocalipse para saber o que é que vem lá. Vocês vão ter revelações espantosas neste Programa. Mas, como já lhes disse, não lhes darei um Apocalipse católico, não lhes darei um Apocalipse espírita, ou judaico, ou protestante. Vou lhes dar um Apocalipse como Jesus o daria se lhe fosse possível dar em pessoa. Vocês vão ter um Apocalipse neutro, que serve a todas as correntes em litígio. Ninguém vai vencer – quem vai vencer é Jesus! O Apocalipse de Jesus está acima de todos os Apocalipses sectários.

Portanto, amigos irmãos, continuaremos amanhã dando, assim, explicações claras e com poucos versículos, para não tornar complicado, ou massudo, ou até mesmo inacessível no estudo Apocalíptico. Amanhã nós vamos ver aquele versículo 8, do primeiro capítulo: “Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim, diz o Senhor, O que é, o que era e o que há de vir, o Todo-poderoso Deus”.

QUE A PAZ DE DEUS ESTEJA COM TODOS! E
VIVA JESUS!


Nenhum comentário:

Postar um comentário