Siga por e-mail

quinta-feira, 15 de março de 2012

ESPÍRITO E VIDA

             IRMÃ LEOPOLDINA EM SUA RESIDÊNCIA COM O PRESIDENTE ALZIRO ZARUR.





ESPÍRITO E VIDA


P – A LBV – principalmente agora com o CEU – já poderia ter editado em livros sua vasta produção, de cunho espiritual tão elevado. Por que não o fez?
R – Porque não autorizei tais edições. Não era chegada a hora. Doravante, sim, pode a LBV pensar no assunto, selecionando O QUE SEJA DIGNO da aprovação de Jesus, em benefício do Brasil e do Mundo. As palavras do Mestre, como ele mesmo afirmou, são Espírito e Vida. Assim as da LBV: depois de vinte anos de lutas, num trabalho de pioneirismo indiscutível, pôde finalmente abrir as portas do CEU, iniciando a gigantesca obra da UNIFICAÇÃO DAS QUATRO REVELAÇÕES DO CRISTO DE DEUS. Estas palavras terão de correr o mundo, nesta Era Apocalíptica, porque são Espírito e Vida, para todo o sempre. A HORA CHEGOU, diz o Espírito da Verdade.

P – O homem tem o direito de cercear a liberdade de consciência?
R – Jamais. Toda coação, nesse sentido, é crime contra a Lei de Deus. Assim, também, o homem não tem o direito de impedir as manifestações do pensamento, desde que visem ao bem de todos: liberdade com responsabilidade, direitos com deveres.

P – É respeitável toda e qualquer crença, embora reconhecidamente falsa?
R – Sim, quando é sincera e conduz à prática do Bem, pois vários são os graus de evolução espiritual. As crenças condenáveis são as que conduzem ao mal. Só o conhecimento da Verdade Total pode e sabe distinguir entre o falso e o correto, o certo e o errado, em todas as crenças de homem ou verdade de cada um.

P – Somos responsáveis por escandalizar, sem motivo, os crentes que não pensam como nós?
R – Sim, porque isso é atentar contra a liberdade de consciência e faltar à Caridade, ensinada e exemplificada pelo Mestre e Senhor.

P – Pelo respeito à liberdade de consciência, devemos permitir que se propaguem doutrinas perniciosas?
R – Nada acontece por acaso. Tais doutrinas cairão por si mesmas, como a casa edificada sobre a areia.

P – Sem atentar contra à liberdade de consciência, podemos atrair ao caminho da Verdade aqueles que se acham desviados por falsos princípios?
R – Podeis e deveis. Isso, porém, deve ser feito de acordo com o exemplo de Jesus, isto é, com Boa Vontade, nunca pela força, que é pior do que a crença daqueles a quem se procura salvar. Se é permitido impor alguma coisa, é o Bem, é a Fraternidade, em suma – o Amor do Novo Mandamento, pela convicção, NUNCA PELA VIOLÊNCIA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário